Home / Notícias

Notícias

Desencarne de Jorge Andréa

desencarne01-02ft

O querido pesquisador e escritor Dr. Jorge Andréa dos Santos, retornou à Pátria Espiritual na data de hoje 01/02/2017, aos 100 anos de idade. Jorge Andréa, como era conhecido no meio espírita, nasceu em 10/08/1916, tendo sido um autor profícuo, cuja contribuição ficou registrada em mais de 400 artigos publicados em revistas espíritas, como o Reformador, Revista Internacional de Espiritismo (RIE), Presença Espírita, Cultura Espírita. Além disso, também publicou mais de 30 livros, ao longo de quatro décadas, dedicados ao estudo da área científica da Doutrina Espírita, notadamente relacionados à Psicologia, Parapsicologia, Psicanálise, Biologia, Evolução, Reencarnação, entre outros assuntos. Destacam-se de sua produção literária os seguintes livros: Novos Horizontes da Parapsicologia (1967), Enigmas da Evolução (1973), Palingênese – A Grande Lei (1975), Forças Sexuais da Alma (1978), Psicologia Espírita – 1º. Volume (1978), os quais são indicados e recomendados em nossos cursos na Federação Espírita do Estado de São Paulo. …

Leia Mais »

A felicidade não é deste mundo.

felicidade

Mário Sérgio Vellei Desde tempos imemoriais, na própria origem da humanidade, nos momentos iniciais desta jornada pelo reino hominal, o Espírito encarnado busca vencer a dor e as vicissitudes, as angústias e os medos, buscando tranquilidade e segurança. Nesta busca, um conceito foi se formando: o da felicidade. Vivemos tentando definir este sentimento, tendo ele passado pelas mais diversas ideias e jamais sendo obtido em sua plenitude pelos habitantes deste planeta. Na Grécia surgiu a ideia de que a felicidade se nutre do belo, através da cultura do Espírito. Epicuro, filósofo grego do período Helenista, acreditava que a chave da felicidade é a sabedoria. Sócrates, no momento derradeiro da sua existência, afirmou: “O homem não são suas vestes, seu invólucro, mas seu Espírito”. Posteriormente o ideal epicurista sofreu violenta transformação, passando essa Escola a representar um conceito deprimente, por expressar gozo, posse, prazer sensual. Os continuadores deste filósofo fixaram o epicurismo nas lutas pela propriedade, ensinando que o homem …

Leia Mais »

A Difícil Missão da Mãe de Jesus – Paulo Oliveira

maria-mae-de-jesus

Toda vez que temos de escrever sobre Maria de Nazaré é sempre uma tarefa muito complexa e que demanda muita atenção, pois deve ser realizada com muita responsabilidade e respeito. Maria de Nazaré é a “personalidade sublimada”, conforme Emmanuel em A Caminho da Luz, livro psicografado por Chico Xavier, que foi escolhida para desempenhar a missão complexa e desafiadora de ser a mãe do Messias, Jesus Cristo, em sua encarnação missionária. Diz-nos Emmanuel, que quando chegou o tempo previsto para a vinda do Cristo, as entidades angélicas do sistema solar, movimentaram-se “nas proximidades da Terra, adotando providências de vasta e generosa importância” que foram levadas a efeito. “Escolhem-se os instrutores, os precursores imediatos, os auxiliares divinos.” Assim num trabalho planejado e de grande relevância no mundo espiritual, processou-se a escolha daqueles que auxiliariam Jesus em sua missão de libertação pelo amor por excelência. Todos esses colaboradores do Cristo prontificaram-se a exercer a sua missão, cada qual conforme as determinações do alto e …

Leia Mais »

A mensagem dos três Reis Magos

tres-reis-magos

Adriana Miranda Pulcina “E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do Rei Herodes, eis que uns Magos vieram do Oriente a Jerusalém, perguntando: Onde está o Rei dos Judeus, recém-nascido? Com efeito, vimos a sua estrela no Oriente, e viemos a adorá-lo.”  Mateus 2:1-2 O evangelista, Mateus, o único que relata a visita dos Magos a Jesus, e, no seu relato, ele não diz quantos eram os Reis Magos, nem mesmo o nome deles. Sabemos apenas que eram mais de um, pois ele faz a citação no plural. Diziam-se guiados por uma estrela e vinham render-lhe homenagens. Mateus, também não os nomeia Reis, mas, Magos. Não há nenhuma referência à suposta condição de Reis, como são conhecidos. Eles desenvolviam as ciências naturais, a medicina, a astronomia e o culto. Os Magos recebiam o título de sacerdotes e sábios. Isto lhes conferia muita influência sobre a sociedade. Os Reis também os recrutavam para que …

Leia Mais »

Marcos Pontes, o 1°Astronauta brasileiro

Marcos-Pontes-e-Silvia-Cristina-Puglia

Entrevista no programa de TV da FEESP “Um Sentido Para Sua Vida” com Marcos Pontes, o 1°Astronauta brasileiro Nascido em Bauru, interior de São Paulo em 1963, Marcos é astronauta profissional, especialista de missão, formado pela NASA (EUA) e pela ROSCOSMOS (Rússia). Atualmente, palestrante motivacional, Coaching especialista em desempenho pessoal e desenvolvimento profissional, Mestre em Engenharia de Sistemas, Engenheiro Aeronáutico pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), Diretor Técnico do Instituto Nacional para o Desenvolvimento Espacial e Aeronáutico, Embaixador Mundial do Ensino Profissionalizante, Embaixador das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial, presidente da Fundação Astronauta Marcos, onde desenvolve vários projetos sociais. Em Março de 2006, Marcos realizou a primeira missão espacial tripulada da história do Brasil: A Missão Centenária. Permaneceu no espaço por 10 dias e tornou-se o primeiro astronauta do Brasil. Comemoramos no mês de Abril de 2015, nove anos deste feito. Silvia Cristina Puglia – Gostaria de começar perguntando sobre sua vida. Onde Nasceu? Como foi sua infância? Marcos Pontes– Eu nasci em …

Leia Mais »

A Terapia do perdão

Imagem 2

Roberto Buchmann A história do perdão não começa com Jesus, mas é ele quem enfatiza, justifica e exemplifica seu exercício, como ninguém. O Evangelho, considerado o maior tratado psicoterapêutico de que a humanidade tem notícia e Jesus, o Psicoterapeuta por excelência, ensinando o perdão incondicional, constante, indistinto, motivam um dos mais perfeitos comportamentos, responsáveis pela saúde e pela harmonia pessoal. Tanto quanto a Regra Áurea, e intensamente vinculada a ela, a ideia do perdão apresenta-se nas diversas culturas da Terra perdendo-se seu início na noite dos tempos. O tema está investido de tanta importância para a alma em desenvolvimento, que não erraremos ao inferir que o Mestre Jesus, ordenou aos seus profetas que semeassem o seu conceito a todos os povos, em todos os tempos. A alma abarcando todas as possibilidades virtuosas com que foi criada, permanece, no geral, insensível ao impulso da humanização e da sensibilização que lhe compete desenvolver para galgar patamares espirituais mais altos. Todos os estudos e …

Leia Mais »

INSTRUÇÕES FINAIS

Imagem1PauloOliveira

Quando atenderes a um desses pequeninos é a mim que atendes Paulo Oliveira “(…) Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e Se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: entendeis o que vos tenho feito?” (João 13:12) Remontando à cena da última ceia de Jesus com Seus discípulos vamos encontrá-los celebrando a festividade que comemorava a fuga do povo hebreu do Egito. Era um momento de aconchego com Jesus, em que reinavam a confiança e a tranquilidade, estando, a maioria deles, felizes naquele instante em que se dedicavam ao convívio com o Mestre, pois podiam ouvi-Lo e compartilhar de Sua presença calorosa. Prevendo os fatos dolorosos que se seguiriam àquela festividade, no intuito de deixar mais uma lição, não só para aqueles que desfrutavam de Sua companhia naquele momento, mas também para a posteridade, Jesus levantou-Se e retirou Sua capa, cingindo-Se com uma toalha, como era típico dos serviçais das casas nobres da …

Leia Mais »

Espiritualidade e Alteridade – Edgard Armond por Edelso da Silva Junior

edgard

Visivelmente entendemos que o ser humano constitui boa parte do mundo que habitamos, ou seja, a maioria dos habitantes do planeta Terra é constituída de gente como nós, com necessidades semelhantes. Quando vemos o discurso de muitas pessoas em relação ao sentimento de piedade, de caridade em relação ao seu próximo, nos deparamos com o conceito de alteridade sendo propagada de forma textual, porém, a alteridade no discurso é fácil de compreender, mas difícil de aplicar. Alteridade é a capacidade de se colocar no lugar do outro, de penetrar no mundo do outro e conseguir vê-lo tal como ele é e não como desejaríamos que fosse. Na era moderna (1600 d. C.) já se percebe uma preocupação sobre o tema, pois em pleno renascimento cultural na Europa, vemos a busca da racionalidade do homem, e da mudança da importância da religião para a figura humana da sociedade, o homem com suas necessidades mais urgentes e não mais a figura …

Leia Mais »

Tormentos Voluntários – Miriam Ofir Barbosa

Tormentos

Na busca pela felicidade, nos deparamos com tormentos que nós mesmos ocasionamos, realidade esta, muitas vezes não aceita por nós, afinal, a nossa visão estreita da realidade nos leva a imputar aos outros as causas pela nossa infelicidade, por aquilo que nos atormenta. Nossas conquistas no campo material, falam alto nas nossas mentes e nos conduz às conquistas que, acreditamos serem os recursos que nos trarão a felicidade e é igualmente este, o caminho dos nossos tormentos mentais. “Penso, logo existo”, conforme nos deixou escrito o Filósofo francês Renê Descartes. A questão é entendermos, que se pensamos e logo existimos, colocamos para funcionar nossas mentes, nossa inteligência e discernimento, a favor da nossa existência, visto que se trata de um raciocínio lógico. Acreditamos muitas vezes que ao determos determinado objeto do nosso desejo, isso nos preencherá e tudo ficará melhor nas nossas vidas, porque afinal, é aquilo que queremos e que envidamos esforços para conseguir, porém, quando alcançamos …

Leia Mais »

Lei do Trabalho e Evolução

Parte 2.indd

A relação do homem com o trabalho sempre foi conflituosa, pois, revela a necessidade de esforço. O trabalho está para o homem muito anterior a própria civilização. A seu turno, na natureza, tudo se movimenta, e é natural que assim seja. O princípio inteligente nos reinos inferiores da natureza, de certa forma já se movimenta em busca da manutenção e sobrevivência, ainda que o faça de forma instintiva. O homem da pedra ainda não havia aprendido a linguagem falada e tinha de buscar o próprio sustento na caça, na colheita de raízes, no esforço diuturno pela própria sobrevivência. O trabalho – não como conhecemos – mas, como o esforço humano pela manutenção da própria existência, é anterior a própria civilização. Na antiguidade grega o trabalho era considerado verdadeira desonra, reservado as classes inferiores. O Livro do Gênesis, do Velho Testamento, em sua cosmogonia, descreve a Criação, de forma ainda alegórica na medida em que a Ciência demonstrou a evolução do Universo …

Leia Mais »